Resignação

Eu queria um segundo…
bem no fundo do meu eu
sem os porquês?
Recebendo tudo que me impõe,
sem a revolta que toma conta
ou essa lágrima que insiste em verter
pelos cantos do desconsolo…
Essa mancha de desilusão,
mágoa, saudade
ou bem sei lá o que dizer,
se me calo diante de fatos
e acontecimentos…
Consolo,
colo,
carinhos,
nada serve
a dor da inconstante falta de aceitação
da vida multiplicada pelos erros e acertos
renúncia de direitos…
Pela lente do esquecimento
tento ver estrelas no céu nublado
na incessante falta do tentar
fazer explicar que dentro grita
o não suportar a tentativa…
Espantalhos de delírios
necessidades constantes de uma vida
passada a limpo
sem verdades do inconsciente…
Ofende,
dói,
no espelho não me vejo.
Uma mancha de sangue
querendo a saudade
de um sofrimento
com resignação…
Eu existo?
Para que?
Porque?
Onde?
Qual a saída, para perguntas?
Enlouquecida estou…
Cada vez mais distantes
as respostas
falta de tempo
o poder chorar,
lembranças vividas
mal resolvidas,
a fé acabando,
nada adianta ouvir:
Você está bem?
Quer se abrir?
Até quando não sei?
Aí morrerei sem respostas
com certezas dentro de mim.
Só queria poder…
 
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s