Excerto

“Então foi como se o tempo parasse, e a Alma do Mundo surgisse com toda a força diante do rapaz. Quando ele olhou os seus olhos negros, os seus lábios indecisos entre um sorriso e o silêncio, compreendeu a parte mais importante e mais sabia da Linguagem que o mundo falava, e que todas as pessoas da terra eram capazes de escutar nos seus corações. E isso era chamado Amor, uma coisa mais antiga que os homens e que o próprio deserto, e que, no entanto, ressurgia sempre com a mesma força onde quer que dois pares de olhos se cruzassem como se cruzaram aqueles dois pares de olhos diante de um poço. Os lábios finalmente resolveram dar um sorriso, e aquilo era um sinal, o sinal que ele esperou sem saber durante tanto tempo na sua vida, que tinha buscado nas ovelhas e nos livros, nos cristais e no silêncio do deserto.
            Ali estava a pura linguagem do mundo, sem explicações, porque o Universo não precisava de explicações para continuar o seu caminho no espaço sem fim. Tudo o que o rapaz entendia naquele momento era que estava diante da mulher da sua vida e, sem nenhuma necessidade de palavras, ela devia saber disso também. Tinha mais a certeza disso do que qualquer outra coisa no mundo, mesmo que seus pais, e os pais de seus pais dissessem que era preciso namorar, noivar, conhecer a pessoa e ter dinheiro antes de casar. Quem dizia isso talvez nunca tivesse conhecido a Linguagem Universal, porque quando se mergulha nela é fácil entender que existe sempre no mundo uma pessoa que espera a outra, seja no meio de um deserto ou no meio das grandes cidades. E quando estas pessoas se cruzam, e os seus olhos se encontram, todo o passado e todo o futuro perdem qualquer importância, e só existe aquele momento, e aquela certeza incrível de que todas as coisas debaixo do Sol foram escritas pela mesma Mão. A Mão que desperta o Amor, e que fez uma alma gémea para cada pessoa que trabalha, descansa, e busca tesouros debaixo do Sol. Porque sem isto não haveria qualquer sentido para os sonhos da raça humana.”            
 
 in “O Alquimista”, Paulo Coelho
 

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Uma resposta a Excerto

  1. Diogo diz:

    "E quando estas pessoas se cruzam, e os seus olhos se encontram, todo o passado e todo o futuro perdem qualquer importância, e só existe aquele momento".
    "A Mão"…"Alma gémea para cada pessoa que trabalha, descansa, e busca tesouros debaixo do Sol".
    "Porque sem isto não haveria qualquer sentido para os sonhos da raça humana."    
     
    E quando nós nos cruzamos todo o passado e todo o futuro acaba, o que interessa é o presente! As mãos significam a união e a presença da ligação forte entre nós. Elas são o nosso símbolo. E qualquer dia ainda te prego uma surpresa, ainda aparece no festival, quisá com uma camisola com um desenho das nossas mãos…..Tenho de pensar nisso…   :))))))))))))
    Considero-te a minha alma gémea porquê, basta olhar para o que hoje aconteceu…Primeiro vi um nome de uma loja com o teu nome, depois um sapo(de plástico) num stand da Citroen, ah!, e esta nao disse, vi um cão da mesma raça que o Marley!!!Queres mais?!?!
    A última frase acho que só uma pequena grande palavra tem a haver connosco, o sonhar, aliás, SONHAR! É com o sonhar que suscitamos a mente, é com o sonhar que imaginamos um momento que vamos passar, uma festa, um filme…O RECORDAR, também é importante, é com ele que vivemos o passado no presente. É com ele que relembramos o presente no futuro, e que consequentemente se vai tornar passado…Eu adoro sonhar e recordar!E nessas recordações tu és quase sempre a personagem preincipal :)ou se não és, és a secundária, que é quase a mm coisa, lol, não desesperes!!!Já sabes o que vou dizer a seguir…
    AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
    DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD
    OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO
    RRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRR
    OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO
    ————————————————
    TTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTT
    EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
     
    MTMTMTMTMTMTMTMMTMTMTMTMTMTMMTMTMTMTMTMTMTMTMTMTMTMTMTMTMTMTMTMTMTMTMMTMTMTMTMTMMTMTMTMT      
     
    Já que este texto fala do Amor, aqui fica um niquinho de nada do livro que eu tou a ler…
     
    Juntos ao Luar conta a difícil história de amor de John e Savannah, dois jovens que se conhecem por obra do destino e que pelo mesmo se vêem perante decisões de vida muito complexas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s