Era uma vez um pássaro…

"Era uma vez um pássaro. Adornado com um par de asas perfeitas e plumas reluzentes, coloridas e maravilhosas. Enfim, um animal feito para voar livre e solto no céu, e alegrar quem o observasse.
Um dia, uma mulher viu o pássaro e apaixonou-se por ele. Ficou a olhar o seu voo com a boca aberta de espanto, o coração batendo mais rapidamente, os olhos brilhando de emoção. Convidou-o para voar com ela, e os dois viajaram pelo céu em completa harmonia. Ela admirava, venerava, celebrava o pássaro.
Mas então pensou: talvez ele queira conhecer algumas montanhas distantes! E a mulher sentiu medo. Medo de nunca mais sentir aquilo com outro pássaro. E sentiu inveja, inveja da capacidade de voar do pássaro.
E sentiu-se sozinha. E pensou: "Vou montar uma armadilha. Da próxima vez que o pássaro surgir, ele não partirá mais."
O pássaro, que também estava apaixonado, voltou no dia seguinte, caiu na armadilha, e foi preso na gaiola.
Todos os dias ela olhava o pássaro. Ali estava o objecto da sua paixão, e ela mostrava-o às suas amigas, que comentavam: "Mas tu és uma pessoa que tem tudo". Entretanto, uma estranha transformação começou a processar-se: como tinha o pássaro, e já não precisava de o conquistar, foi perdendo o interesse. O pássaro, sem poder voar e exprimir o sentido da sua vida, foi definhando, perdendo o brilho, ficou feio – e a mulher já não lhe prestava atenção, apenas prestava atenção à maneira como o alimentava e como cuidava da sua gaiola.
Um belo dia, o pássaro morreu. Ela ficou profundamente triste, e passava a vida a pensar nele. Mas não se lembrava da gaiola, recordava apenas o dia em que o vira pela primeira vez, voando contente entre as nuvens.
Se ela se observasse a si mesma, descobriria que aquilo que a emocionava tanto no pássaro era a sua liberdade, a energia das asas em movimento, não o seu corpo físico.
Sem o pássaro, a sua vida também perdeu o sentido, e a morte veio bater à sua porta. "Porque vieste?" – perguntou à morte.
"Para que possas voar de novo com ele nos céus" – respondeu a morte. "Se o tivesses deixado partir e voltar sempre, amálo-ias e admirá-lo-ias ainda mais; porém, agora precisas de mim para poderes encontrá-lo de novo."
Paulo Coelho
 

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Uma resposta a Era uma vez um pássaro…

  1. Diogo diz:

    Tu és a "pássara" mais fixe, mais humilde, mais altamente, mais tudo da minha vida…
    Também penso no futuro, acreditas? Mas também muito no presente, e é isso que devemos viver…O passado também me faz reflectir muito mesmo..Hoje precisamente pensei no passado, no presente e no futuro…Como o tempo passa, mesmo há poucos momentos atrás estava a brincar à apanhada na escola primária, chegava da escola e brincava, não tinha muitas obrigações.Aproveitrei essa parte da minha vida, da melhor maneira, eu sei, contudo hoje ao olhar para tráz dá-me um sorriso na cara, mas ao mesmo tempo uma tristeza na alma…Pois essa era a vida que gostava sempre de ter, como já referi chegar a casa e não ter obrigações. Hoje deparo-me com um monte de apontamentos à minha frente, para estudar, não é a mesma coisa do que chegar a casa e brincar, como sabemos…Contudo, não me posso queixar, pois segundo o que me tem dito:"aproveita a tua vida, pois é a melhor fase que tens", e portanto é o que tenho tentado fazer. Mesmo que saibamos que as aulas são uma seca, e que estudar uma m****, no futuro arependernos-emos de ter dito isto.Pois esta é fase onde fazemos amigos, criamos laços de amizade fortes, convivemos, temos férias grandes, etc, etc…Hoje penso no presente, olho para o passado, e reflicto sobre o futuro…Mas sobre todo o futuro…Custa-me pensar numa coisa…Hoje estou aqui a escrever um comment para ti, e daqui a não sei quantos anos(se Deus quiser) estou a trabalhar, cheio de horários, ás vezes sem as diversões que tenho hoje…Algumas vezes ponho-me a pensar, que se hoje consigo tenho possibilidades de andar, ver, ouvir, quando já for velhote(se lá chegar), não ter estes orgãos já tão apurados…Ás vezes olho para a minha avó, e penso…nem sei…a infância dela…como ela deve olhar o passado, que embora com dificuldades, com muitos sorrisos também…Como ela olha para ele, e hoje simplesmente se pode dizer, que a infância, a adolescência passou…Isto faz-me pensar mesmo muito…O filme que ontem vi,"Diário da Nossa Paixão", vai entrar para a alista dos meus favoritos, pelo amor existente, por tudo, mesmo…Mas uma coisa que como te disse, foi a minha preferida, foi a adolescência(se assim se pode chamar) do Noah e da Allile.A passagem da adolescência para a velhice…Dp de momentos tão bons, ficar velhote, ter falhas de memória(a Alile neste caso), mas principlamente, não poder realizar os acontecimentos, as saídas deles, as loucuras que eles fizeram, novamente…Isto tudo pôsme a pensar…E neste comment está tudo o que está a passar na minha cabeça às vezes…
     
    Por isso, aqui fica o meu conselho, para nós, e para toda a gente que ler este comment…
    VIVAM O PRESENTE, NÃO OLHEM PARA O PASSADO E NÃO PENSEM NO FUTURO!
     
    ADORO-TE CADA VEZ MAIS :))))))))))))))))))))))))))))))

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s