Medo

"Tenho medo. Não aquele medo dito normal que nos surge de vez em quando em situações de stress, mas aquele medo irracional que só existe quando dedicamos tempo a pensar nele. Deito-me e fecho os olhos e "ele" vem, devagarinho. Instala-se em mim, bem no fundo de mim, sobre o peito, impedindo-me quase de respirar.
Abro os olhos na esperança do escorraçar, que o próprio medo fuja com medo de mim mas não. Apenas se enterra mais um pouco em mim.
Veio para ficar e só vai embora com as primeiras horas da manhã.
Enterro a cabeça na almofada que aos poucos humedece à força das lágrimas expulsas e tento, com força, pensar no algo melhor. No dia de amanhã talvez.
 
Quando o ele surge em forma de pessoa, abafo-me. Faço de conta que já não estou ali. Estão trinta graus lá fora e toda eu coberta pelo mais pesado dos cobertores estremeço de frio.
 
Procuro o porto seguro, o príncipe encantado que nos é prometido aquando a infância. Estendo os braços a suplicar a ajuda, pelo menos que me agarrem antes de eu cair e só paro de gritar quando a colisão se dá.
São mil pancadas secas desferidas contra mim. Uma após outra, após outra, após outra até restar o nada.
 
O silêncio no final é o que dói mais. O choro dá lugar ao soluço até que este se cala para dar lugar ao nada.
 
O corpo esfria, a dor espalha-se. O sol desponta timidamente como que com medo de se mostrar demasiado radioso. É um dia novo. Mais uma oportunidade de fuga. Se ao menos a coragem não me abandonasse…."
 

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Uma resposta a Medo

  1. Diogo diz:

    Depois da minha primeira tentaviva de comentário na aula de TIC, e depois de ter prometido que cá vinha, aqui estou eu para mais uma vez tentar dar a minha opinião!lol
    Bom, todos temos medos, preocupações, fazem parte da nossa vida…A minha preocupação neste momento é estudo, a tua é outra, a da Carina idem…Todos as temos, ninguem pode fugir delas.Contudo há uns medos/preocupações que são maiores que outras, depende do nível com que conseguimos superar o obstáculos. Há uns mais dificeis, outros mais fáceis. É assim a vida dos humanos durantes a terra. Contudo ela não é só constítuida por medos/preocupações, citados no texto. É nos momentos maus, que nos devemos lembrar de uma coisa…É que embora fazamos do que nos aflige o fim do mundo, devemos pensar, que há uma luzinho ao fundo do tunel…Luz essa que é forte..Traz todos os momentos bons que já passámos, tudo aquilo que gostamos, os nossos amigos, as recordações, dando-nos força para continuar a caminhar, até termos superado esse obstáculo, não nos deixando ter medo dele, não nos deixando ficar em casa, deitado na cama a chorar, não nos deixando a ouvir músicas tristes e a deprimir…Todos temos momentos maus, a que associo as ditas preocupações, e moentos bons, isto é, as alegrias dadas no dia-a-dia…
    Esta é a minha opinião, e atenção!nc se esqueçam da LUZ ao FUNDO DO TUNEL!ELA ESTA SEMPRE LA!
     
    Fiquem bem…beijocas Lili!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s