Eu sou alguém que anda à deriva

Passam dias, meses, anos…
Estações, ventos e marés.
Vidas começam. Vidas terminam.
Eu sou alguém que anda à deriva.
Penso em quem não sou.
Planeio quem quero ser.
Entre pensamentos e planos vou-me esquecendo de viver.
O remorso pelo ontem desperdiçado.
A ânsia pela plenitude do amanhã.
Do hoje fica um apelo murmurado, quase calado, de uma solidão sentida, meio ferida, que doí.
 
Liliana
 

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s